7 de junho de 2022

Oficina de encadernação com reaproveitamento de papeis encerra com sucesso o curso de Eco artesanato no município de Belo Vale.

Participantes do curso exibindo com alegria, seus certificados e apostilas. Foto: Equipe PEA CSN

Concluindo com grande êxito a série de oficinas tutoriais ofertadas na Comunidade de Córrego dos Pintos (Belo Vale - MG), realizamos no dia 18 de maio o Módulo IV do Curso de Eco Artesanato. Além das atividades prática e teórica programadas, a data foi também dedicada à entrega da apostila ilustrada do curso e do certificado de conclusão para todas as participantes.

Em todos os módulos, um material reciclável foi eleito como base para a criação das peças. Neste, o papel e o papelão reutilizados foram trabalhados com a técnica da encadernação artesanal, o que proporcionou a criação de um útil bloco decorado, utilizando a técnica da costura manual japonesa.

O conteúdo teórico contido na apostila do curso sendo apresentado pela analista de educação ambiental da Fundação CSN, Brenda Monteiro. Foto: Equipe Fundação CSN

A produção e o consumo de papel no mundo ainda não apresentaram uma redução significativa, especialmente se considerarmos o avanço da comunicação digital. O hábito de consumir informações em material impresso — como livros, revistas, jornais, catálogos e folhetos — ainda prevalece, e o uso de papel para a fabricação de embalagens também continua alto.

O Brasil está entre os maiores produtores mundiais de papel. Em nosso país a reciclagem é superior a 46% do volume fabricado. Esse resultado, porém, poderia ser melhor se a coleta seletiva fosse uma realidade na maioria dos municípios brasileiros. Estima-se que menos de 15% das cidades possuam um sistema efetivo de coleta seletiva, fazendo com que um volume enorme de papel potencialmente reciclável acabe sendo descartado junto com o lixo comum.

FATOS QUE MOSTRAM A IMPORTÂNCIA DA RECICLAGEM DO PAPEL

• A reciclagem de uma tonelada de papel evita a derrubada de cerca de 20 a 30 árvores adultas;
• A fabricação de papel reciclado proporciona a economia de aproximadamente 80% da energia que seria gasta na produção de papel com matéria-prima virgem;
 Apostila ilustrada com conteúdo
teórico completo dos 4 módulos e 
tutoriais ilustrados de todas as
peças confeccionadas
• A produção de uma tonelada de papel reciclado utiliza cerca de 2 mil litros de água. Para fabricar uma tonelada de papel novo são necessários aproximadamente 100 mil litros de água;
• A reciclagem de papel gera mais empregos. Em relação à produção de papel novo, a quantidade de postos de trabalho é cinco vezes maior na cadeia de reciclagem e 10 vezes superior em comparação com o serviço de coleta e destinação final de resíduos;
• Economia de gastos públicos com a limpeza das vias, coleta e destinação final de resíduos sólidos, uma vez que o descarte de papéis no lixo comum ou em nas ruas diminuiria;
• Reduzir a produção e consumo de papel tem impacto positivo, uma vez que haverá menos emissões atmosféricas poluentes.

Além de separarmos corretamente os papeis para destina-los à reciclagem, podemos também adotar outros hábitos sustentáveis como evitar consumir produtos que utilizam muito papel em suas embalagens, imprimir ou escrever nas folhas dos dois lados, além de reutilizar papeis e caixas de papelão para novas finalidades. 


O reuso artesanal do papel é uma  opção inteligente e neste módulo do curso as participantes aprenderam uma forma simples e útil de fazê-lo.

Com dedicada atenção, as participantes escutam atentas as informações repassadas pela instrutora Mazza Pena. Foto: Equipe Fundação CSN

Como nos módulos anteriores, O resultado final do trabalho foi muito satisfatório. As participantes manifestaram grande interesse quanto à técnica aprendida e entusiasmo quanto a possibilidade de aplicação futura em outras encadernações. 

Elas também demonstraram muita criatividade na parte decorativa da capa. Para isso,  utilizaram lápis de cera colorido e uma impressão contendo a logomarca do  Projeto "Pensar Eco é Lógico" do Programa de Educação Ambiental (PEA) da CSN - Companhia Siderúrgica Nacional, responsável pela contratação do Núcleo Maria Reciclona para realização deste trabalho.  

Nesta ação contamos com a supervisão das analistas de educação ambiental da Fundação CSN, Liliane do Carmo Azevedo e Brenda Monteiro. 

Vejam  mais alguns momentos da aula de conclusão do Curso:


Aprendendo a costura japonesa... Foto: Equipe PEA CSN

Caprichando no colorido... e contando também com a participação das crianças que acompanhavam as mamães nesta atividade. Foto: Equipe PEA CSN

Kits com materiais utilizados nas oficinas foram sorteados entre as participantes.
Foto: Equipe PEA CSN

Um momento especial para registrar os sorrisos de felicidade e satisfação pelos dias de excelente convivência e muito aprendizado.  Foto: Equipe PEA CSN

O Núcleo Maria Reciclona agradece à Fundação CSN pela confiança depositada em seu trabalho, à sua equipe pelo apoio e profissionalismo na condução das atividades e à Comunidade de Córrego dos Pintos (Belo Vale) pela receptividade e carinho.

15 de maio de 2022

Criação de velas aromáticas com reutilização de óleo vegetal foi a atividade prática do 3º módulo do Curso de Eco artesanato realizado em Belo Vale.

Confecção de velas artesanais: uma ótima forma de reutilizar óleos vegetais
 
Quem lida diariamente com grande quantidade de óleo de cozinha muitas vezes tem dificuldades para descartá-lo. Estudos apontam que um litro de óleo pode poluir cerca de 10 mil litros de água, mas algumas estimativas dizem que a mesmo volume pode poluir até um milhão de litros de água (esta quantidade de água é aproximadamente o que uma pessoa consome em 14 anos). Mas como agir corretamente, diante dessa situação?   Este foi um dos principais pontos de abordagem e reflexão do Módulo III do Mini Curso de Eco artesanato que o Maria Reciclona está realizando no município mineiro de Belo Vale. A ação atende ao Projeto "Pensar Eco é Lógico" do Programa de Educação Ambiental (PEA) da CSN - Companhia Siderúrgica Nacional.

Membros da Comunidade do Córrego dos Pintos participando de mais um módulo do Curso de Eco artesanato. Foto: Fundação CSN

A atividade aconteceu na tarde do dia 4 de maio, na comunidade  do Córrego dos Pintos e contou com a participação de mulheres e adolescentes residentes na localidade. Como uma das soluções para reuso dos óleos vegetais, residuais das práticas culinárias, apresentamos a opção de transformar o óleo vegetal usado, em velas aromatizadas e de longa duração

O conteúdo teórico contido na apostila do curso sendo apresentado pela analista de educação ambiental da Fundação CSN, Liliane do Carmo Azevedo. Foto: Equipe Fundação CSN

Como sempre, nossa atividade iniciou com a parte teórica que está descrita na apostila elaborada especialmente para o curso, trazendo muitas informações e reflexões importantes que incluíram a necessidade de preservar os recursos hídricos de qualquer forma de poluição, incluindo o descarte de óleos e seus derivados.

A água é o bem mais precioso que temos, porém está se tornando um recurso finito para o mundo. Por isso pensar em todas as formas de preservar este recurso natural é uma das nossas missões. Toda forma de evitar o desperdício e a poluição dos recursos hídricos deve ser considerada e adotada em nosso dia-a-dia. Nesse sentido, o descarte correto de óleos vegetais (soja, milho, girassol , etc.) é uma das muitas ações que devemos adotar. 
O óleo de cozinha jogado diretamente na pia pode prejudicar o meio ambiente.
Uma linda vela confeccionada com reuso de óleo vegetal
em suporte criado com lata de alumínio
 

NA REDE COLETORA DE ESGOTO: por ser menos denso que a água, o óleo de cozinha forma uma película sobre a mesma, o que provoca a retenção de sólidos, entupimentos e problemas de drenagem quando colocados nas redes coletoras de esgoto. Se o produto for para as redes de esgoto encarece o tratamento dos resíduos em até 45%.

QUANDO LANÇADO NO SOLO, no caso do óleo que vai para os lixões ou aquele que vem junto com a água dos rios e se acumula em suas margens, este impermeabiliza o solo, impedindo que a água se infiltre, o que contribui para que ocorram as enchentes.

NOS ARROIOS E RIOS: a película formada pelo óleo de cozinha dificulta a troca de gases entre a água e a atmosfera, causando a morte de peixes e outros seres vivos que necessitam de oxigênio.

NA ATMOSFERA: a decomposição do óleo de cozinha emite gás metano na atmosfera. O Metano é um dos principais gases que causam o efeito estufa que contribui para o aquecimento da Terra, pois o óleo de cozinha que muitas vezes vai para o ralo da pia acaba chegando aos oceanos pelas redes de esgoto. Em contato com a água do mar, esse resíduo líquido passa por reações químicas que resultam em emissão de metano. Assim, no mar, acaba ocorrendo a decomposição e a geração do metano, através de uma reação anaeróbica (sem ar) de bactérias.

A solução para este problema é a reciclagem do óleo vegetal. E existem várias maneiras de reaproveitar esse produto sem dar prejuízos ao meio ambiente. O óleo pode ser transformado em vários produtos industrializados tais como: ração animal, fertilizantes, graxa, biodiesel, sabão, detergente, etc. E de forma artesanal, podemos transforma-lo em lindas velas para iluminação e decoração de ambientes, como fizemos durante nossa última aula. Vejam abaixo alguns momentos desse processo:

Momentos de aprendizado na aula prática - Fotos: Equipe Fundação CSN

O resultado final foi excelente e as alunas amaram o processo de aprendizado e as velas confeccionadas por elas.

Nesta semana, teremos mais um módulo do curso e outros materiais recicláveis serão a base do aprendizado sobre preservação do meio ambiente e sustentabilidade. Aguardem.

Com sucesso e satisfação concluímos mais uma aula cheia de aprendizados e muito engajamento por parte de todas as participantes. Foto: Equipe Fundação CSN
.

3 de maio de 2022

Seguimos com as atividades que atendem ao PEA da CSN: segundo módulo do Curso de Ecoartesanato em Belo Vale (MG) foi realizado com sucesso.

A satisfação de realizar com sucesso um desafio, traduzida no sorriso de cada aluna.

Realizamos no dia 26 de abril, o segundo módulo do Mini Curso de Ecoartesanato com reutilização de materiais recicláveis, atividade que o Maria Reciclona está realizando em Córrego dos Pintos, comunidade rural do município mineiro de Belo Vale. A atividade atende ao Projeto "Pensar Eco é Lógico" do Programa de Educação Ambiental (PEA) da CSN - Companhia Siderúrgica Nacional e é direcionado às mulheres e adolescentes da localidade.

Na segunda oficina, o material reciclável escolhido foi Cds e Dvs, além de retalhos de tecidos. A peça confeccionada foi um lindo escapulário decorativo para portas. Mais uma vez contamos com muitas inscritas que interagiram de forma participativa em todas as etapas da aula.

Parte teórica: participantes atentas ao conteúdo da apostila, durante leitura realizada por uma das alunas.

Na parte introdutória da aula abordamos teoricamente a importância de se reciclar os CDs e DVDs disponíveis.  Abordamos como a criação desse formato de mídia digital representou um grande avanço tecnológico, mas também como trouxe, a reboque, problemas para a natureza. 
Cabe lembrar que CDs e DVDs são compostos de metais e plástico, portanto, recicláveis, mas o custo X benefício desse processo, falta de legislação e educação estão enchendo os aterros sanitários com essas mídias que com o tempo passaram a ser muito descartadas e substituídas por pendrives e armazenamentos “nas nuvens” (tecnologia que permite usuários e empresas armazenar, manter e acessar dados em servidores de alta disponibilidade via internet). 

Ìvanor Pinheiro, Coordenador do Projeto e representante da 
Fundação CSN fazendo a abertura do segundo módulo.
Não bastasse o tempo que o CD leva para se degradar na natureza — mais de 400 anos, ele ainda precisa ser desmagnetizado
Como é composto por policarbonato (um tipo de plástico), alumínio, prata ou ouro, é necessário fazer a reciclagem de cada componente de forma isolada. Para piorar, o policarbonato não é fácil de ser reciclado e são necessárias máquinas especiais para a tarefa
Apesar da reciclabilidade do material, estima-se que menos de 30% das mídias de pacotes de software são recicladas. Isto significa que milhões de caixas de software vão direto para os aterros todo ano. 

Concentração e capricho fazem parte do processo...

Refletindo sobre tudo isso e ainda o quanto a indústria da moda é responsável pela geração de toneladas de resíduos, utilizamos os dois materiais recicláveis na criação de lindas peças decorativas. A atividade também atende ao propósito de promover a instrução para geração de renda.

O resultado da produção realizada em 4 horas de aula foi mais uma vez surpreendente e muito satisfatória quanto à beleza das peças. Sem dúvida, refletiram o empenho das alunas durante a atividade.


Algumas das participantes expondo com orgulho seus lindos escapulários.

Seguimos com as atividades e, nesta semana, retornaremos à localidade para mais um módulo que preparamos com muito carinho.

Crédito Fotos: Ívanor Pinheiro - Fundação CSN / Mazza Pena- Maria Reciclona 

18 de abril de 2022

Curso em Belo Vale marca o retorno do Maria Reciclona às atividades presenciais. A ação atende ao Programa de Educação Ambiental da CSN.

Alunas do 1º Módulo do Mini Curso de Ecoartesanato Maria Reciclona - Projeto "Pensar Eco é Lógico" da CSN.

Ontem (17/04), o Governo do Brasil anunciou o fim da emergência sanitária por Covid-19 no país. E após 2 anos de pandemia, mantendo todas as medidas preventivas e já imunizada com as 3 doses da vacina, na última quinta feira (14) retomei as atividades presenciais de educação ambiental. O retorno aconteceu em uma oficina ministrada em Córrego dos Pintos, comunidade rural do município mineiro de Belo Vale, atendendo ao Projeto "Pensar Eco é Lógico" do Programa de Educação Ambiental (PEA) da CSN - Companhia Siderúrgica Nacional.

Alunas dedicadas e atentas ao processo de resignificação dos vidros 
Ministraremos durante o mês de abril e maio, um Mini Curso de Ecoartesanato com reutilização de materiais recicláveis. A atividade terá  4 módulos e duração total de 16 horas, abrigadas um espaço cedido pela própria comunidade. 

A atividade acontece via contratação da Fundação CSN, entidade responsável pelas ações sociais do Grupo CSN e atende ao propósito da Fundação de conectar a sociedade aos projetos que transformam vidas e comunidades. A ação tem como um dos objetivos proporcionar conhecimento e capacitação que favoreçam a educação ambiental agregada à geração de renda.  
Em nossa primeira aula registramos um grande engajamento com todas as 15 vagas disponibilizadas preenchidas. 


VIDRO: material reciclável escolhido para criação de objetos utilitários e/ou decorativos no Módulo I.

Em nosso dia-a-dia é muito comum o consumo de alimentos acondicionados em embalagens de vidro consideradas "descartáveis" ou "não retornáveis". Como consequência, a grande quantidade de vidros descartados incorretamente, levam para o negativo nossa conta com o meio ambiente. E esta é uma preocupação que devemos sempre considerar e compensar.

O vidro está entre os diferentes materiais que podem ser retirados do meio ambiente e submetidos ao processo de reciclagem. Mas mesmo tendo em sua composição elementos naturais, como a sílica (presente na areia das praias), ainda assim é o que mais leva tempo para ser reabsorvido em condições ambientais. Isto ocorre porque a composição do vidro faz com que ele seja extremamente resistente às alterações climáticas.

Mulheres e adolescentes residentes em Córrego do Pinto compõe o público atendido pela atividade.

Estudos e institutos analisam as condições de decomposições de resíduos no meio ambiente e estimam que a decomposição total do vidro na natureza pode durar até 1 milhão de anos, dependendo das condições às quais o material é sujeito. Mesmo com grande variação, o tempo mínimo de desgaste total é de 4 mil anos – muito mais tempo que itens fabricados com alumínio ou plástico. Pensando nisso, é uma boa ideia  reaproveitarmos embalagens vazias de vidros, transformando-as em objetos utilitários ou decorativos. 

No primeiro módulo o material reciclável escolhido foi o vidro. Reutilizamos embalagens de conservas para a criação de porta saches perfumados que também foram confeccionados durante a aula. Acima vemos o belo resultado dos trabalhos realizado pelas alunas .

Mãe e filha exibem orgulhosas seus trabalhos
Nesse módulo do curso, as alunas aprenderam a técnica de pintura e decoupagem e como transformar os vidros em lindas embalagens para acondicionar saches perfumados para gavetas e armários. A criação dos saches também fez parte da aula e as alunas se encantaram com o resultado individual e coletivo de uma tarde de muito aprendizado. 

Ao final da atividade além da ampliação da consciência ambiental, cada aluna levou consigo o objeto criado que é uma linda opção para presentear e uma excelente sugestão de fonte de renda. 

A instrutora Mazza Pena ladeada por alunas que exibem
os lindos trabalhos confeccionados durante o Módulo I. 

Crédito Fotos: Ívanor Pinheiro - Fundação CSN
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...